fbpx

Sinpro defende professora vítima de calúnia

Direito do trabalho

O Sindicato dos Professores de Jundiaí saiu em defesa de professora demitida e acusada injustamente, como se comprovou no processo, de ter agredido um aluno. O sindicato se negou a aceitar acordo e apresentou defesa da professora ao promotor de justiça, que decidiu pelo arquivamento do caso por inexistência dos fatos alegados.

Para preservar os direitos da professora, o Sinpro ajuizou processo trabalhista buscando indenização pela dispensa e por uma série de direitos trabalhistas que não estavam sendo respeitados. A professora não recebia pelas horas extras que cumpria, não tinha horário de almoço e seu salário era sempre pago com atraso. Além disso, foi pedida indenização pelo crime de calúnia contra a professora.

“Embora ainda não tenhamos a sentença no processo trabalhista, só o fato de o promotor de justiça ter arquivado o processo penal é uma grande vitória no sentido de provar a inocência da professora e o quanto os profissionais da categoria têm sofrido nas mãos de empresários inescrupulosos”, observou Roque Ferreira, advogado do Sinpro.